®
 

 

Documentos técnico-científicos disponíveis na íntegra,enviados pelos autores, para envio gratuito, mediante solicitação: Faça o download clicando em SOS Artigos Cortesia

BUSCANDO A ORIGEM DO BRUXISMO
Karime Suely Pereira – Mestranda aluna especial em Ciências do Movimento Humano, disciplina de Fisiologia do Movimento; UDESC.
Walter Celso Lima - Prof. disciplina de Bioética, Mestrado em Ciências do Movimento Humano; UDESC.
Acredita-se que defeitos na neurotransmissão podem estar na base de um grande número de distúrbios neurológicos e psiquiátricos, levando a crer que o bruxismo certamente esteja relacionado a comportamentos como agressão reprimida, ansiedade, raiva, medo e frustrações. O bruxismo é um mecanismo indispensável na liberação do estresse no qual o sistema mastigatório entra em ação em situações de angústia
(9p. 39ref.) DR Dental Review - Ano: 2006
Cód. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 31 F IC

TRATAMENTO DO AMELOBLASTOMA
MARZOLA,C et al
Os ameloblastomas são motivo de intensa controvérsia, principalmente com relação à terapêutica, se caracterizando pelo alto índice de recorrência e invasividade local. Foi realizada uma revisão da literatura, com o objetivo de obter formas de tratamento viáveis, levando-se em consideração a idade, estado geral do paciente, variação clínico-patológica, localização, extensão da neoplasia, tempo de acompanhamento, número de recorrências e o aspecto estético. Apresentação de caso clínico cirúrgico
(39p. 97ref. 19f.)
Cod: G010104 - CM


PREVALÊNCIA DE FRATURAS DA MANDÍBULA NO SERVIÇO DE CIRURGIA E TRAUMATOLOGIA BUCO MAXILO FACIAL DO HOSPITAL DE BASE DA ASSOCIAÇÃO HOSITALAR DE BAURU NO PERÍODO DE 1999 A 2002.
MARZOLA, C.et al
Foi realizado estudo sobre a prevalência das fraturas faciais, na região de Bauru, no Serviço de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial da Associação Hospitalar de Bauru, quando foram analisados 2.385 pacientes atendidos com fraturas faciais, sendo que 251 com fratura na mandíbula. A violência e o trânsito na grande cidade, a mecanização do trabalho agrícola, a utilização de moto como meio de locomoção e acidentes ciclísticos, têm contribuído para aumentar a incidência de traumas e fraturas dos ossos da face. Estes casos devem ser tratados adequadamente para minimizar seqüelas estéticas e funcionais, para reintegrar o mais rápido possível o individuo ao seu meio social.
(51p. 67ref. 22f.)
Cod: G020104 - CM


ANÁLISE CRÍTICA DOS SERVIÇOS QUE VISAM A IMPLEMENTAÇÃO DA PORTARIA 453 EM RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA
A. YACOVENCO, O. TAVANO et al
Considerando os crescentes riscos associados ao uso e aplicação dos raios X na prática odontológica e a necessidade de padronizar a regulamentação técnica de proteção radiológica, resolvemos aprofundar nossa pesquisa e análise das causas que levam um número cada vez maior de cirurgiões-dentistas a questionar a Portaria 453, do Ministério da Saúde.
(5p. 08ref. 10f.) Rev. Abro
Cod. B27.05.01 - 0104 - G

AVALIAÇÃO DA IMPLEMENTAÇÃO DA PORTARIA 453 NO ESTADO DE SÃO PAULO
A. YACOVENCO, O. TAVANO et al

Uma dose maior de radiação aumenta a probabilidade de indução de efeitos danosos ao organismo. A Portaria 453 tem como objetivo reduzir estas doses, mas um número cada vez maior de cirurgiões-dentistas questiona sua necessidade. Neste trabalho a nossa meta foi a avaliação de 500 laudos radiométricos executados por diferentes firmas especializadas na implementação da Portaria 453 nos consultórios odontológicos do Estado de São Paulo, além de verificar a utilização. correta dos raios X na Odontologia.
(4p. 14ref. 05f.) Rev. Abro
Cod. B27.05.02 - 0604 - G

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO E CIRÚRGICO DAS COMUNICAÇÕES BUCO SINUSAIS
Dr. Clóvis Marzola
Durante muito tempo as comunicações buco sinusais foram julgadas como lesões incuráveis e, o tratamento estava entregue, geralmente, aos cuidados dos protesistas, farmacêuticos ou ainda os médicos.
( 31 p. 32 ref. 42 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 10 2004 - 3 F IC

TRATAMENTO DAS LESÕES FACIAIS CAUSADAS POR ARMA DE FOGO.
Dr Clóvis Marzola et al.
A face, por sua localização anatômica, está muito mais sujeita a traumatismos do que outras regiões do corpo humano e, independentemente da gravidade das lesões, os pacientes costumam dar grande importância a ela, por ser uma região relacionada com a estética.
( 41 p. 102 ref. 18 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 4 F IC

A TERAPÊUTICA EM CIRURGIA BUCO MAXILO FACIAL
MArcos Maurício Cappellari, et. al.
O propósito deste capítulo é aquele de proporcinar, não sómente ao Cirurgião-Dentista, atuante na área de Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial mas, também, àqueles profissionais da odontologia que se dispõe a exercer plenamente o Título de CIRURGIÃO-DENTISTA.
( 28 p. 20 ref. 0 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 5 F IC

PASTA DENTAL ANTI-PLACA
Dr Antonio Carlos Neder
Foram executados testes clínicos em 108 crianças, de ambos os sexos e de duas categorias sociais e os resultados obtidos foram comparados com o grupo de contrôle que utilizou pasta dental convencional.
( 16 p. 19 ref. 0 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 1 F IC

TRAUMA DENTAL - REIMPLANTE DENTAL

Dr Clóvis Marzola
O reimplante dental pode ser conceituado como, o ato de recolocar num alvéolo, um dente que foi removido acidental ou intencionalmente.Geralmente o reimplante não é muito utilizado por acreditar-se que anquilose e reabsorção radicular ocorrerão num curto espaço de tempo.
( 93 p. 439 ref. 36 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 2 F IC

SEMIOLOGIA DA ARTICULAÇÃO TEMPORO MANDIBULAR
Dr Clóvis Marzola et al.
A base para o diagnóstico de causa e efeito, é um entendimento da forma normal e sua relação com a função.Pode-se considerar ainda que não se encontra um distúrbio na função, sem um correspondente grau de alteração na estrutura.
( 116 p. 64 ref. 0 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 6 F IC

REPOSICIONAMENTO DO NERVO MENTONIANO
Dr Clóvis Marzola et al.
Pacientes que por tempo relativamente longo, são portadores de próteses, ou ainda, desdentados e sem tratamento protético reabilitador, poderão apresentar sintomatologia dolorosa generalizada ou localizada, de etiologia variada.
( 18 p. 46 ref. 15 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 7 F IC

A PSICOLOGIA E A CIRURGIA BUCO MAXILO FACIAL
Drª Nilva Tedeschi
O cuidado de todo paciente requer muito mais que o simples reconhecimento e habilidade técnica, sendo também imprescindíveis o interesse para com o paciente como ser humano através da compreensão de seus sentimentos e emoções.
( 20 p. 18 ref. 0 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 8 F IC

PROFISSIIONAIS E ACADÊMICOS DE ODONTOLOGIA ESTÃO APTOS PARA SALVAR VIDAS?
Dr Clóvis Marzola et al.
As emergências médicas no consultório dentário são felizmente pouco citadas e, embora relativamente raros, na rotina do consultório odontológico podem ocorrer casos em que se faz necessário o uso das Manobras de Ressuscitação Cardiorespiratórias (MCR)
( 29 p. 25 ref. 12 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 9 F IC

A PREVALÊNCIA DE FRATURAS FACIAIS NA REGIÃO DE BAURU NO PERÍODO DE JANEIRO DE 1991 A DEZEMBRO DE 1995

Dr Clóvis Marzola et al.
Este trabalho tem como objetivo estabelecer o número de pacientes portadores de fraturas faciais atendidos e, tratados no Serviço de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial da Associação Hospitalar de Bauru e Faculade de Odontologia de Bauru, estabelecendo a prevalência destas fraturas, servindo como estudo comparativo entre todos os serviços de cirurgia, além de esclerecer as condutas utilizadas pelo Serviço em seus tratamentos.
( 47 p. 55 ref. 16 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 10 F IC

OS IMPLANTES DE MATERIAIS ALOPLÁSTICOS
Dr Clóvis Marzola et al.
A possibilidade de recuperação de falhas , ou partes deficientes do corpo humano por substitutos funcionais, tem intrigado profissionais e pesquisadores da área de saúde, já há algum tempo.Buscam-se ainda, substitutos, principalmente para tecidos duros do organismo, ossos e dentes.
( 56 p. 213 ref. 76 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 11 F IC

OS BIOMODELOS DE PROTOTIPAGEM RÁPIDA EM CIRURGIA E TRAUMATOLOGIA BUCOMAXOLOFACIAL
Dr. Eduardo Meurer et. al.
O tratamento das deformidades faciais é um desafio à equipe cirúrgica envolvendo, freqüentemente, cirurgias múltiplas, sendo algumas de alto custo.Entretanto em alguns casos os resultados obtidos não são satisfatórios. Assim, os órgãos ligados ao atendimento da saúde e os profissionais envolvidos têm se preocupado, continuamente, com o desenvolvimento de novas formas de diagnósticos e tratamento destas deformidades.
( 47 p. 25 ref. 27 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 12 F IC

MIIASE DA CAVIDADE BUCAL
Dr Clóvis Marzola et al.
Dentre muitas afecções que acometem a cavidade bucal, destaca-se a Miiase, que vem a ser a invasão de tecidos vivos por larvas de moscas, podendo ocorrer tanto nos animais como no homem e, em diversas partes do corpo humano como a cabeça, fossas nasais, ouvido e lesões ulceradas da pele.
( 25 p. 22 ref. 5 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 13 F IC

MANIFESTAÇÕES ESTOMATOLÓGICAS DA PARACOCCIDIOIDOMICOSE
Dr Clóvis Marzola et al.
A PARACOCCIDIOIDOMICOSE é uma micose profunda sistêmica caisada por um fungo dimorfo conhecido por produzir doença primária no homem, chamado de PARACOCCIDIOIDES BRASILIENSIS.
( 25 p. 22 ref. 5 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 14 F IC

O LASER NA CIRURGIA BUCO MAXILO FACIAL
Dr. Antônio Luis Barbosa Pinheiro et. al.
O laser não-cirurgíco , ou Laser de Baixa Intensidade (LILT ou LLLT), apresenta-se em muitos casos como uma nova modalidade terapêutica para o tratamento de desordens da região buco-maxilo-facial como as dores articulares, nevralgias, parestesias, etc.
( 28 p. 34 ref. 4 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 15 F IC

FRATURAS ORBITAIS
Dr Clóvis Marzola et al.
A órbita é uma estrutura esquelética piramidal composta de sete ossos, cuja importância está ligada ao fato da sua íntima relação com estruturas nobres como o sistema nervoso central, nariz, seios paranasais, além de ser a estrutura que oferece suporte e propicia a função ocular.Segundo HAUSER(1992) 1/3 dos traumas oculares estão intimamente relacionados com as fraturas do complexo zigomático-maxilar.
( 39 p. 36 ref. 36 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 16 F IC

FRATURAS MANDIBULARES
Drª Marília Gerhardt de Oliveira et.al
Nos dias de hoje, mesmo diante da normatização dos cintos de segurança, os acidentes automobilísticos ainda se apresentam como os grandes responsáveis pelas fraturas de face.
( 16 p. 16 ref. 5 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 17 F IC

FRATURAS MANDIBULARES EM CRIANÇAS
Dr Clóvis Marzola et al.
As fraturas mandibulares em crianças, não representam um acidente muito raro dentro da Traumatologia Bucomaxilofacial, embora já tenha ocorrido caso de morte.Comparando-se aos adultos, esse trauma foi observado somente em acidentes ocorridos com bicicletas.
( 34 p. 177 ref. 46 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 18 F IC

FRATURAS FRONTO NASO ETMOIDAL
Dr Clóvis Marzola et al.
O traumatismo naso órbito etmoidal que começou a ser interpretado separadamente do terço médio da face, iniciou seus estudos a partir de LE FORT em 1900, podendo não representar uma prevalência muito grande ao ser pesquisada a literatura especializada, principalmente se for analisado estritamente este tipo de trauma: Naso órbito etmoidal. Entretanto esta prevalência aumenta consideravelmente quando são estudadas separadamente as estruturas: nariz,órbita, ossos etmoidal e frontal.
( 20 p. 96 ref. 31 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 19 F IC

FRATURAS DO TERÇO MÉDIO DA FACE

Dr Clóvis Marzola et al.
Os traumatismos do terço médio da face desde que começaram a ser estudados por LE FORT, a partir de 1990 sempre indicaram de maneira bastante freqüente, quando dos acidentes envolvendo a face, contudo aumentaram consideravelmente nas duas décadas em virtude ao aprimoramento da técnologia automotiva, da violência física do aprimoramento físico dos atletras no setor esportivo, além das guerras.
( 48 p. 322 ref. 48 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 20 F IC

ESTUDO MORFOMÉTRICO SECCIONAL DA MANDÍBULA APLICADO ÀS TÉCNICAS DE IMPLANTODONTIA E CIRURGIA
Dr.João Lopes Toledo Filho et.al.
A cirurgia ortognática é a manobra que reestabelece a estética e a função à determinadps indivíduos com deformidades dentomaxilofaciais. As décadas de 60 a 80 foram de muitos estudos a esse respeito, procurando estabelecer protocolos mínimos para a técnica cirúrgca.
( 50 p. 78 ref. 3 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 21 F IC

A CIRURGIA ORTOGNÁTICA
Drª Marina de Oliveira Ribas et.al.
A cirurgia ortognática é assim denominada por serem técnicas de osteotemias realizadas no sistema mastigatório com o objetivo de corrigir as discrepâncias relacionais maxilares e, por conseguinte, estabelecer o equilíbrio entre a face e o crânio.
( 70 p. 91 ref. 14 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 23 F IC

CEFALOMATRIA ÉTNICA EM CIRURUGIA ORTOGNÁTICA - CONSIDERAÇÕES SOBRE O PACIENTE NEGRÓIDE
Drª Daniela nascimento Silva
Consultando relatos da literatura, observa-se uma riqueza em pesquisas que procuram expressar os conceitos de harmonia e simetria faciais por meio de medidas cefalométricas lineares e angulares, obtidas de pacientes com perfil agradável.
( 20 p. 31 ref. 4 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 24 F IC

AVULSÃO DENTAL - A COMUNIDADE E O CIRURGIÃO-DENTISTA SABEM O QUE FAZER?

Dr Clóvis Marzola et al.
O sorriso perfeito é fundamental para o bom desenvolvimento psicossocial dos homens, onde conceitos de estética definem a beleza do ato de sorrir.
( 103 p. 180 ref. 26 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 26 F IC

APICOPLASTIA
Dr Clóvis Marzola et al.
A apicoplastia é uma técnica cirurgica utilizada para que patologias periapicais possam ser curadas, quando são praticamente impossíveis de serem resolvidas pelo tratamento endodôntico convencional.
( 39 p. 101 ref. 27 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 27 F IC

AMELOBLASTOMAS - CONSIDERAÇÕES GERAIS
Dr Clóvis Marzola et al.
O ameloblastoma é um dos tumores mais controvertidos dos maxilares. A grande diversidade de opiniões quanto a terminologia, etiologia, diagnóstico, classificação microscópica, achados clínicos, tratamento e potencial de malignidade é, talvez, maior que qualquer outra neoplasia encontrada no corpo humano.
( 20 p. 22 ref. 19 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 28 F IC

A PERCEPÇÃO DO BELO E A PROPORÇÃO DIVINA
Drª Rossiene Motta Bertollo et. al.
O conhecimento a cerca da estética facial é amplamente importante para os profissionais da área da Odontologia e , além disso é de interesse das pessoas de uma forma geral.
( 21 p. 34 ref. 0 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 29 F IC

A ORTODONTIA E A CIRURGIA

Dr Clóvis Marzola et al.
Os caninos permanentes superiores representam os principais protagonistas quando o assunto enfoca dentes retidos da cavidade bucal, por representarem os dentes que mais levam o paciente a procurar o ortodontista.
( 27 p. 84 ref. 10 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 30 F IC

A FISIOTERAPIA E A CIRURGIA BUCO MAXILO FACIAL

Drª Fabiola Tedeschi Marzola
Atualmente, a área odontológica vem preocupando-se cada vez mais com a interferência de alterações posturais, principalmente de cabeça e coluna cervical, na fisiopatologia da ATM, daí a necessidade de se estabelecerem métodos e condutas para que as duas especialidades sigam em conjunto e harmoniosamente
( 45 p. 112 ref. 2 f.) DR Dental Review - Ano: 2004
Cod. ADR . 1 . 1 - 11 2004 - 22 F IC

TOPO